Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

MAPA DA DIOCESE

REGISTO HISTÓRICO



A região entre Minho e Lima disfrutou sempre de uma certa autonomia religiosa até 1514, quando foi incorporada na diocese de Braga no tempo de D. Diogo de Sousa. A sede religiosa da região ter-se-á situado em Viana do Castelo, Tuy, de 569 a 1382, Valença, de 1382 a 1444 e Ceuta, de 1444 a 1514.

A aspiração dos católicos do Alto Minho pela criação da diocese de Viana do Castelo teve o seu primeiro processo, em 1545, no reinado de D. João III, juntamente com os pedidos de Freixo de Espada à Cinta, Covilhã e Abrantes.

Adormecido ao longo dos séculos, o propósito voltou a manifestar-se no princípio do século XX.
Em 1926, depois da criação da diocese de Vila Real, sacerdotes e leigos de Viana do Castelo formularam novo pedido à Santa Sé, o qual viria a ser retomado em 1942, organizando-se, para o efeito, comissões nos vários concelhos. Renovado em 1943, o pedido multiplicou-se em iniciativas cada vez com mais largo apoio da população nos anos 1964, 1970 e 1977, vindo a encontrar resposta neste mesmo ano, pela Constituição Apostólica Ad Aptiorem Populi Dei, de 3 de Novembro, do Papa Paulo VI.

A área da diocese, com 2.108Km2, coincide com território civil do distrito de Viana do Castelo, contando 291 paróquias e uma população de 250.000 habitantes. Ficaram integrados na diocese os sacerdotes que, nesse momento, tinham ofício ou benefício eclesiástico no seu território e os que nele legitimamente viviam. A Igreja Matriz de Santa Maria Maior foi constituída em Sé Catedral e o Convento de S. Domingos, restaurado, tornou-se a sede dos serviços centrais diocesanos.

Links úteis:

Stacks Image 2467
Stacks Image 2462
Stacks Image 2464
Stacks Image 2457
Stacks Image 2459
Stacks Image 2438
Stacks Image 2435
Stacks Image 2441

Convívios Fraternos

Stacks Image 2450
Stacks Image 2430

Cursilhos