Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

70º Cursilho de Homens

O Movimento dos Cursilhos de Cristandade, da Diocese de Viana do Castelo, realizou, entre os dias 24 e 27 de Abril, no Centro Pastoral Paulo VI, mais um Cursilho de Cristandade de Homens, que teve 19 participantes, vindos de vários Arciprestados da Diocese.
A Equipa Sacerdotal do Cursilho foi constituída pelos Reverendos Padres: Arcélio José Pereira de Sousa, Director Espiritual do Cursilho, Manuel José Torres Lima e Padre José Filipe Oliveira de Sá.
Foi Reitor do Cursilho, Avelino Pereira Abreu, que coordenou a equipa Leiga, constituída por dez dirigentes do Movimento.
A Clausura de encerramento e a Eucaristia, contou com a presença de centenas de Cursilhistas, e do Bispo diocesano, D. Anacleto Oliveira, que presidiu à Eucaristia, concelebrada por seis Sacerdotes.
Nos seus testemunhos, os novos Cursilhistas, puseram em relevo a forte vivência espiritual e testemunhal dos três dias de Cursilho e apontaram o propósito de, a partir de agora, procurarem ter uma colaboração mais ativa nas suas Paróquias e serem testemunho de fé na família, nos ambientes e na sociedade em geral, procurando estar atentos aqueles que mais carecem de ajuda.

 Missa 70º. CCH 04-2013

EUCARISTIA
Na homilia, D. Anacleto Oliveira começou por realçar alguns testemunhos dos novos. Entre eles destacou um que referiu “sinto uma grande alegria” e, partindo das palavras do Evangelho, citou as palavras de Cristo, que por S. João nos foram transmitidas na Eucaristia “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”. O que interessa é que vos ameis uns aos outros. Vós sereis meus discípulos se vos amardes uns aos outros.
A Igreja nesse tempo estava seriamente a ser posta á prova e corria o risco de se desagregar. Isto tem hoje, como nesse tempo, muita atualidade. As provas purificam-nos. E concluiu, citando uma frase de Tertuliano, que também encontramos nos Atos dos Apóstolos, referindo-se à forma de viver dos primeiros cristãos: “vede de como eles se amam”.
 
Dados Estatísticos do Cursilho
Média de idades 44 anos
Mais novo 25 anos
Mais idoso 68 anos
 
Arciprestados de Proveniência
Arcos de Valdevez – 2
Caminha -2
Ponte do Lima 2
Valença -2
Viana do Castelo -10
Vila Nova de Cerveira -1

66º Cursilho de Senhoras

Dando cumprimento ao calendário estabelecido para as atividades Pastorais a decorrer no presente ano, o Movimento dos Cursinhos de Cristandade, da Diocese de Viana do Castelo, realizou mais um Cursilho de Cristandade de Senhoras que decorreu de 27 de fevereiro a 02 de março, no Centro Pastoral Paulo VI.

A Equipa Sacerdotal do Cursilho foi constituída pelos Reverendos Padres: Eugénio Freitas da Silva que foi o Diretor Espiritual do Cursilho, Padre Manuel de Almeida Sousa e Padre José Aguiar Correia de Sá.
Foi Reitora do Cursilho, Anabela de Jesus Antunes Vau de Vilar de Mouros, que coordenou a equipa Leiga, composta por nove Dirigentes provenientes de vários Arciprestados da Diocese.

A Clausura de encerramento e a Eucaristia, tiveram lugar no Auditório do Centro Pastoral Paulo VI em Darque e contou com a presença de cerca de 500 Cursilhistas vindos de toda a Diocese.
Nos seus testemunhos as novas Cursilhistas, depois de se referirem aos três dias do Cursilho como sendo dias de enorme espiritualidade e testemunho, projetaram as suas vidas para o pós Cursilho, com propostas de um enriquecimento e testemunho na família, nas suas comunidades e na sociedade em geral, procurando por em prática o grande papel que cabe a cada Cristão de reevangelizar os seus ambientes.
A Eucaristia foi Presidida pelo Bispo da Diocese, D. Anacleto Oliveira e concelebrada por sete Sacerdotes.

Dados Estatísticos

Proveniência das novas Cursilhistas

  • Arcos de Valdevez 1

  • Monção 1

  • Ponte do Lima 4

  • Valença 4

  • Viana do Castelo 5

  • Vila Nova de Cerveira 4


Média de idades
  • A Cursilhista mais nova tem 19 anos

  • A Cursilhista mais velho 79 anos

  • A média de idades dos novos Cursilhista foi de 52 anos


66º. CCS  -  02-03-2013

Homilia o nosso Bispo
Na homilia D. Anacleto Oliveira, começou por referir: o que eu sinto necessidade de dizer neste momento não é para vós, é para o Senhor e convidou a Assembleia a cantar “Senhor sois um Deus Clemente e compassivo”.
Deus sofre com aqueles que tem sofrimentos normais, com os que se desviam dos seus caminhos. Vós aceitastes o repto de Jesus, deitando cá para fora o que não presta. Convertei-vos e deitai cá para fora as vossas dúvidas.