Diocese de Viana do Castelo •

Igreja Católica no Alto Minho

65º Cursilho de Senhoras da Diocese

Missa 65º. CC Senhoras


O Movimento dos Cursilhos de Cristandade da nossa Diocese, realizou entre os dias 25 e 28 de Julho no Centro Pastoral Paulo VI em Darque o 65º. Cursilho de Cristandade de Senhoras, tendo nele participado 14 novas Cursilhistas.

A Equipa Sacerdotal foi constituída pelos Reverendos, Padre Manuel José Torres Lima Director Espiritual do Cursilho, Padre José Aventino Amorim de Freitas e Padre Ricardo José Vieira Correia. Foi Reitora do Cursilho, Maria de Lurdes Silva Oliveira Martins Pereira dos Arcos de Valdevez.

A Clausura e a Eucaristia de encerramento do Cursilho, tiveram lugar no Auditório do Centro Pastoral Paulo VI em Darque e contou com a presença de cerca de 380 Cursilhistas, que vibraram com os testemunhos das novas Cursilhistas, que deixaram nos presentes a imagem de uma forte vivência Espiritual e crescimento na Fé, nos três dias do Cursilho, apontando para uma maior consciência da sua corresponsabilidade em Igreja e da necessidade de levar essa vivência à família, e à sociedade em geral, permanecendo particularmente atentas aqueles que mais carecem de atenção e apoio.
A Eucaristia foi Presidida pelo Bispo da Diocese, D. Anacleto Oliveira e concelebrada por mais 6 Sacerdotes.
As novas cursilhistas vieram dos seguintes Arciprestados:
Arciprestados de Arcos Valdevez, Ponte de Lima, Viana do Castelo e Barcelos da Paróquia de Fragoso.

Média de idades 52 anos.

  • Cursilhista mais nova 31 anos

  • Cursilhista mais velha 69 anos

Untitled

Testemunhos:
Os testemunhos das novas Cursilhistas, caracterizaram-se pela afirmação da vivência de uma forte espiritualidade e de grandes ensinamentos nos três dias do Cursilho e da consciência de que (lá fora) há muito que fazer, muito que trabalhar, em Igreja, na família e em cada irmão que precisa de atenção, levando-lhes este Cristo que continua apaixonado por cada uma de nós.
Deus continua apaixonado por mim e sofre com a minha ausência, não posso mais dizer-Lhe “não tenho tempo”.

  • Foi um tempo de uma experiencia nova, espero contribuir para minorar as necessidades dos meus irmãos.

  • Saio daqui com a certeza de que lá fora há muito que fazer, muito que trabalhar.


Homilia do Bispo Diocesano.
Antes de centrar na mensagem das leituras da Eucaristia, D. Anacleto, começou por referir que este Movimento tem muita vitalidade, força e entusiasmo de lutar até ao fim, por isso deposito nele muita confiança, e constato que a Diocese vive muito do contributo dos Cursilhistas, nos vários Organismos Paroquiais, Movimentos e Obras de Apostolado.
Centrando-se num cântico antigo; “Senhor nós temos fome! Senhor nós temos sede! Não é fome de pão! Nem é sede de água! são razões de viver o que nos falta”.
Buscamos Senhor a vossa palavra, vós encontraste-a nos rolhos e em toda a vivência do Cursilho, Jesus manifestou-Se com palavras e em obras no vosso Cursilho.
Depois do Milagre da multiplicação dos pães o Senhor retirou-Se para o monte, porque sabia que O iam querer fazer rei.
Beber da palavra que falava D’Ele saciou a vossa fome e a vossa sede para o 4º. dia, palavra que se fez carne e na Cruz que se fez Amor.